Compartilhar

Esse artigo é aglomerado de estudos sobre disrupções e futurologia tecnológica.

Em 1974 Arthur C. Clarke fez previu como os computadores mudariam as nossas vidas em um documentário chamado BBC Predicts for 2001 (Previsões para 2001), veja:

Realmente esse vídeo foi assustador! Tive um choque ao vê-lo passar no início do filme Jobs e por acreditar ser real, fui atrás de mais informações. Ná época cheguei a filmar com meu smartphone para procurar mais dados na internet posteriormente. Veja mais.

Certa vez li em um jornal o seguinte pensamento:

No século XVIII Thomas Edson irritou os acendedores de lampião dos postes;

No início do século XX Henry Ford irritou cocheiros e maquinistas;

Nos anos 30 a TV irritou as rádios; 

Nos anos 80 o computador irritou os datilografistas; 

Nos anos 90 o MP3 irritou as rádios e gravadoras; 

Já no início do Século 21

  • O vídeo game irritou as fabricas de brinquedos;
  • A internet irritou os Jornais Impressos;

Hoje 

  • YouTube irrita as TVs;
  • WhatsApp irrita a telefonia;
  • O Uber irrita os taxistas;
  • A Netflix irrita as Indústria cinematográfica;
  • O Airbnb irrita os hotéis e pousadas;
  • O Minecraft irrita a Lego;
  • Tesla irrita as indústrias petrolíferas;
  • As redes sociais irritam os políticos;
  • Os E-commerces irritam as lojas físicas;
  • Os robôs irritam as profissões com baixa qualificações e previsíveis.

...

"O descontentamento é o primeiro passo para a evolução de uma nação" Oscar Wilde

De acordo com o relatório The New Work Order, divulgado pela Foundation for Young Australians (FYA), mais da metade dos estudantes do país estão atrás de carreiras que se tornarão obsoletas pelos avanços tecnológicos e automação.

Em um apontamento preocupante, a pesquisa mostra que 60% dos jovens entram no mercado de trabalho em empregos que serão “radicalmente afetados pela automação”, que pode ocorrer dentro dos próximos 10 a 15 anos.

A CEO da FYA, Jan Owen, disse que enquanto a taxa de desemprego e subemprego para os jovens na Austrália já é de cerca de 30%, as chances de conseguir uma posição no mercado de trabalho vão continuar a encolher.“Nossa análise descobriu que 60% dos estudantes ocuparão empregos que terão um nível de automação de dois terços nas próximas décadas”, destacou.

O relatório também afirma que a forma como trabalhamos mudará – mais automação, globalização e carreiras mais colaborativas poderiam ajudar a diminuir as barreiras do trabalho e tornar nossa vida mais flexível e menos regulada.

No entanto, essas mudanças também podem levar a aumentos de desemprego, desigualdade e insegurança no emprego. Como uma mudança, o empreendedorismo está em uma crescente mundialmente.

O relatório recomenda que se dê mais ênfase às habilidades digitais e ao empreendedorismo para os jovens. Acrescenta também que a redução dos impostos para os trabalhadores de baixa renda e a concessão de mais direitos aos trabalhadores freelancers poderiam ajudar a preparar a economia e a sociedade da Austrália para o futuro.

Fazendo coro, no ano passado, um relatório dos professores da Oxford, Carl Benedikt Frey e Michael Osborne, descobriu que um terço de todos os empregos no Reino Unido se tornará obsoleto pela robótica nos próximos 20 anos.

Os trabalhos de secretariado, administrativos e de caixa já foram prejudicados pelos avanços da computação e acredita-se que muitos empregos em seguros e trabalhos manuais podem estar em risco significativo de serem automatizados.

“A máquina pode fazer a tarefa de 50 home ns comuns, Mas nenhuma máquina será capaz de fazer o trabalho de um homem extraordinário.”  Elbert Hubbard

Compartilhe:
Artigos Relacionados
Recomendamos para você