Compartilhar

O mundo está mudando mais rápido do que jamais mudou. Estamos em um momento de Turing point que criam diversas disrupções. 

“Somos inundados de informação e famintos de sabedoria”- Zygmunt Bauman. 

O mundo vive a era da informação e uma única edição de um dia de semana comum do jornal americano "The New York Times" tem mais conteúdo do que um inglês médio teria acesso em toda sua vida no início do século XVII. 

Se fosse armazenado de forma otimizada, o volume de informação em todo mundo nos mais diversos suportes analógicos e digitais ocuparia o equivalente a 295 trilhões de megabytes, ou 295 exabytes

Segundo os pesquisadores, a evolução no acúmulo de informação é uma prova de como a revolução digital mudou a vida e a cultura no planeta. Em 1986, cada ser humano tinha o equivalente a 539 megabytes (menos de um CD-Rom) de informação armazenada. O número de discos pulou para cerca de quatro em 1993, 12 no ano 2000 e 61 em 2007.

"O que eu aprendi com o Google é que nunca saberei o que deveria saber."- Zygmunt Bauman. 

O excesso de informação como elemento de dissociação cognitiva. 

Manter a capacidade de se concentrar e fixar a atenção, selecionando os estímulos e informações que interessam, tornaram- se os grandes desafios desta era do conhecimento.

A tentativa de apreender muitas informações ao mesmo tempo prejudica a capacidade de fixação mnemônica dessas informações e, conseqüentemente, a consolidação do aprendizado.

A nossa capacidade de reter e consolidar estímulos e informações é limitada, mas nossa percepção não. Isso possibilita que a pessoa se ocupe com várias coisas ao mesmo tempo, mas com perda da capacidade de processar adequadamente o que está fazendo.

Nossa percepção do mundo é simultânea, mas nossa ação é seqüencial; se a pessoa não estabelecer prioridades não conseguirá ter um bom desempenho.

Não são apenas as informações provenientes de livros, revistas, jornais e dos websites que estão causando ansiedade e problemas. Os e-mails e os telefones celulares começam a entrar no rol dos elementos potencialmente nocivos ao bom desempenho cognitivo dos profissionais ansiosos.

Uma família comum em 2012 preencheu com informações 65 iPhones de 32GB por ano; Já hoje preenchemos 318 smartphones de 32GB por ano.

E quem trabalha com tecnologia — os chamados profissionais de TI — já tem um pesado fardo sobre seus ombros, lidando hoje com aproximadamente 230GB de dados. Em 2020, a carga de um único profissional de TI será de + 1.200GB.

Veja mais em:

Globo
Mettodo
independent
Elpais
Valor

O pessimista vê dificuldade em cada oportunidade!
Compartilhe:
Artigos Relacionados
Recomendamos para você