Compartilhar
  • O Banco Central do Brasil vai 'inaugurar' a internet do dinheiro com o sistema de pagamentos instantâneos que o BCB deve lançar em 2020, disse o CEO da Matera.

A internet, que era 'apenas uma rede de computadores conectados' mudou a vida das pessoas, o sistema que o Banco Central lançará também vai impactar o sistema financeiro nacional e com isso muitos modelos existentes devem morrer.

O sistema de pagamentos instantâneos anunciado pelo Banco Central do Brasil, aliado ao Open Banking, vem sendo apontado por especialista como uma espécie de 'divisor de águas' no sistema financeiro nacional. As medidas podem ajudar a impulsionar a adoção do Bitcoin e criptomoedas no Brasil na medida em que podem permitir que empresas de cripto se conectem diretamente com os bancos e o sistema financeiro.

Desta forma, transferências de valores entre instituições deve ser feita instantaneamente assim como aplicações que fazem 'conversão ' Bitcoin para reais e de reais para Bitcoin, devem ocorrer 'em tempo real' permitindo uma mobilidade financeira nunca antes vista na história do país.

  • “Os pagamentos instantâneos vão trazer uma grande revolução no Brasil juntamente com as outras medidas que o BC vem tomando, open banking, por exemplo”, disse o presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, destacando a importância de ter o projeto centralizado no BC e não em um ente privado no intuito de ter um sistema único e interoperável.

O sistema de pagamentos instantâneos em debate no Banco Central conectaria as mais de 120 instituições financeiras registradas no regulador e pretende permitir "a transmissão da mensagem de pagamento e a disponibilidade de fundos para o beneficiário final em tempo real e cujo serviço está disponível para os usuários finais durante 24 horas por dia, 7 dias por semana e em todos os dias no ano".

  • "Iniciar um pagamento instantâneo deverá ser tão simples quanto selecionar uma pessoa na lista de contato do telefone celular (sem a necessidade de inserir informações como número do banco, da agência e da conta e o CPF do recebedor) ou ler um código único de identificação, como um QR Code, por exemplo. Tudo o que deverá ser necessário é um smartphone, uma conta em um prestador de serviço de pagamento (PSP) da escolha do consumidor e o aplicativo desse PSP. O aprimoramento da experiência, o que inclui a facilidade e a simplicidade em iniciar pagamentos é um dos principais benefícios dos pagamentos instantâneos para os usuários pagadores", destacou o Banco Central sobre o novo sistema.

"Tipicamente, a movimentação de recursos se dá entre contas transacionais (que podem ser uma conta corrente, poupança ou conta de pagamento pré-paga), com os recursos em poucos segundos disponíveis para o recebedor em qualquer dia e hora, inclusive fins de semana e feriados"

  • O Presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, destacou em Audiência na Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização no Senado Federal, que o uso da tecnologia blockchain é importante para o BCB avançar na digitalização da economia.


"Trabalhar na modernização do Sistema Financeira Nacional é fundamental para alcançarmos esses objetivos — simplificando e desburocratizando o acesso aos mercados financeiros para todos e dando um tratamento homogêneo ao capital, independentemente de sua nacionalidade ou se provém de um grande ou de um pequeno investidor. Para o sistema financeiro, essa mudança tecnológica significa: democratizar, digitalizar, desburocratizar e desmonetizar. Para criar esse futuro, precisamos dominar novas ferramentas, tais como: blockchain, serviços de nuvem, inteligência artificial e digitalização. Com esse objetivo, a nossa agenda de trabalho, a Agenda BC+, está sendo reavaliada e ampliada", disse.

Desta forma, o Banco Central pretende impulsionar o sistema de pagamentos no Brasil. 

  • Entre os pontos, a diminuição do uso do dinheiro físico, o fim de transações bancárias como DOC e TED, o fim dos Cartões de Crédito e Débito, além é claro o fim do Boleto Bancário

Durante uma entrevista no Globo News na terça-feira (12), o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, revelou o nome do sistema de pagamentos instantâneos que será lançado pela autarquia — vai se chamar Pix.

No entanto, Campos Neto, que falava à emissora sobre novas tecnologias para o setor econômico, disse que acabou revelando o nome sem querer.

Ele mesmo abriu o assunto, quando comentou que o Banco Central estava prestes a lançar um sistema de pagamentos instantâneos e que sua equipe inclusive tinha escolhido um nome no dia anterior.

O comentário, então, causou curiosidade dos jornalistas. “Qual é? O que significa isso?”, perguntaram.

“Pix”, respondeu.

Pagamentos instantâneos Open Source do BC

Logo que revelou o nome, Campos Neto também foi convidado a descrever como iria funcionar o novo sistema. No entanto, por conta do descuido, o presidente então se sentiu um pouco inseguro.

Ele alegou que não sabia se poderia ter revelado o nome ainda, mas mesmo assim, resolveu dar mais detalhes, ao que ele respondeu:

“Pagamento instantâneo significa que você vai poder pagar entre uma pessoa e outra, 24 horas por dia, sete dias por semana, e o dinheiro vai cair imediatamente na conta da outra pessoa”, descreveu, acrescentando que será um sistema automático feito por meio de um aplicativo.

  • Segundo ele, o ‘Pix’ vai funcionar com a tecnologia QR Code e deve ficar pronto até o final deste ano. Para exemplificar seu papel no sistema de transferências, Campos Neto abordou também outro tema que BC tem focado, que é o Open Banking
    .

O Open Banking é uma solução que conecta bancos e fintechs (como a tradução dos próprios termos revelam: banco ou sistema bancário aberto) para melhorar a experiência do cliente.

“Então você tem de um lado um sistema interoperável — porque todo mundo vai se comunicar com todo mundo por esse sistema — e do outro lado você tem o open banking, que vai abrir o sistema. Então você tem: interoperável, mais instantâneo, mais aberto”, explicou.

Por meio desses sistemas integrados, Campos Neto disse que a competição que se forma lá na frente é um mundo financeiro muito diferente do atual. E reiterou, acrescentando as fintechs.

  • “Lá na frente você encontra: interoperabilidade com ‘instantâneo’, com ‘aberto’, com fintechs”.


Fonte: Cointelegraph e Portaldobitcoin

FAQ A morte do Cartão de Crédito! O PIX (Pagamento Instantâneo) do BACEN vai mudar forma como pagamos compras online | Inovarti Soluções Avançada em E-Commerce Magento

Instant payments (IP) ou traduzido do inglês: Pagamento Instantâneo (conhecido também pela sigla PI). Pagamento Instantâneo é então uma nova maneira de pagamento digital que transfere o valor em segundos. Comparados às transferências eletrônicas existentes (tais como: TED, DOC, Boleto e Cartão de Crédito), O Pagamento Instantâneo permite a transferência de dinheiro da conta bancária do pagador para a conta bancária do beneficiário quase que imediatamente á qualquer hora e sem intermediadores. Sendo assim, mais barato e mais eficiente.
Em entrevista recente, Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central do Brasil, revelou que o novo sistema de Pagamento Instantâneo brasileiro se chamará: Pix.
Em outros países, esse meio de pagamento já é uma realidade. Na Índia temos o: UPI (Unified Payments Interface) Na Europa temos o: PSD2 No México temos o: CoDi Nos EUA temos o: Zelle E no Brasil temos o PIX Ao chegar por aqui, o Pagamento Instantâneo deve beneficiar a todos. Pois será possível fazer transferências entre pessoa física, para empresas e até órgãos governamentais.
Com o uso do Pagamento Instantâneo as transferências de valores poderão ser feitas em tempo real, mesmo fora do horário comercial. Além disso, essa modalidade promete ter taxas bem menores do que os serviços já disponíveis, como: TED, DOC, Boleto e Cartão de Crédito. O novo sistema de pagamento virá com grande potencial para substituir e extinguir os métodos de pagamentos existentes, tais quais: TEDs, DOCs, Boletos e até os Cartões de Crédito (Sim até os cartões! Isso porque a tecnologia será altamente difundida por sua facilidade de uso e o baixo custo operacional que será equivalente ao custo de registro de um boleto hoje que é feito pela CIP do BC. Facilitando e desburocratizando assim os métodos de pagamento.
As vantagens são: - Confirmação de pagamento em imediato! Aprovação da transação no máximo em 5 segundos; - Funcionamento 24/7/356 (Ou seja, 24h por dia em todos os dias do ano sem nenhuma interrupção); - Sem limites! Seja para pequena (microtransações) e grandes transações; - Facilidade da transferências entre pessoa física, para empresas e órgãos governamentais. - Fácil e prático!
O Banco Central vem trabalhando pelo menos desde 2018 em um sistema de pagamentos instantâneos que deverá substituir os métodos atuais em conjunto com o Open Banking. O governo brasileiro pretende lançar o Pagamento Instantâneo até final de 2020.
O Pix manterá os registros das transações no Blockchain. isso facilitará muito as análises de crédito (Basicamente podemos consultar o histórico de compras passada do cliente. E o Blockchain também informará quantas contas no PIX o cliente possui, e se possui inadimplência ou não. Hoje o custo do registro de um boleto está em uns 16 centavos, porém o registro dos boletos somente pode ser feito por instituições bancária. Já o Pagamento Instantâneo PIX entrará no conceito Open Banking, o que permitirá a qualquer fintech o uso da tecnologia, eliminando por assim o oligopólio dos grandes bancos (Onde no Brasil temos apenas 5).
Compartilhe:
Artigos Relacionados
Recomendamos para você